Tijolos / Coleção / Fontes Históricas – Parte II

Continuação…

Inicio com um dos preferidos da coleção, o F.F.B. Trata-se de um tijolo que almejava há algum tempo e via muitos dele no Museu de Salto. A sigla é a abreviação de Francisco Fernando de Barros, mais conhecido como Barros Jr. Ele veio parar em minhas mãos numa tarde quando passei em frente a um antiquário na cidade e vi um belo oratório, entrei para ver o preço. Olhei para o chão e o vi ali, imediatamente perguntei sobre o tijolo e o vendedor não sabia ao certo o que significava a sigla, mas sabia que era muito antigo. Pois bem, contei a história do Barros Jr. e adquiri o tijolo por um valor apenas simbólico. Vale mencionar que, alguns anos depois, meu cunhado Eric, sabendo do meu gosto por tijolos, deu-me um que estava em sua casa, assim, agora tenho dois.

Segundo a historiadora Dra. Anicleide Zequini:

“Barros Júnior, republicano, abolicionista e proprietário da segunda fábrica de tecidos instalada em Salto, nasceu em Capivari-SP em 17 de março de 1856, localidade em que seu pai Francisco Fernando de Barros se destacava como um dos principais produtores de açúcar.” (ZEQUINI, 2018)

Entre os feitos de Barros Jr. em Salto, vale destacar:

–Fundação da segunda fábrica de tecidos da cidade em 1880.

–Formação do Grêmio Musical com operários da fábrica em 1880.

–Apresentou o projeto para elevar Salto a categoria de vila em 1889, momento em que era vereador por Itu.

–Fundou o jornal Correio de Salto em 1888.

–Já na república, foi Deputado pelo Partido Republicano Paulista.

Francisco Fernando de Barros Júnior faleceu em 1918.

O segundo tijolo vem com a inscrição J.C.

Quando encontro, compro ou ganho algum desses objetos, minha primeira fonte de pesquisa, da qual sou muito grato pela disponibilidade em ceder um tempo para me ajudar, é o Prof. Antônio Oirmes Ferrari.

Professor Ferrari me informou que muito provavelmente a inscrição marcada no tijolo seja uma referência a João Coltro, que se mudou com sua família para Salto em 1935 (eram de Indaiatuba). Vieram ele, esposa e mais seis filhos.

Lá em Indaiatuba, eles tinham uma pequena roça de subsistência e, quando se mudam para Salto, compram uma chácara e produziam os mesmos produtos com destaque para as frutas. Não sabemos ainda, professor Ferrari e eu, se ele trabalhava com olaria ou pagou para ter sua sigla nas formas dos tijolos.

João Coltro nasceu em 05 de julho de 1900 e morreu em 27 de agosto de 1945.

Posts Relacionado