Supermercados limitam fluxo de clientes nas lojas

A pandemia do novo coronavírus alterou também a rotina em alguns supermercados da cidade. Na rede Pague Menos, por exemplo, o fluxo de acesso à loja foi limitado, de acordo com a metragem do estabelecimento, permitindo um cliente para cada 10 metros quadrados. Com a medida, a unidade de Salto comporta até 150 pessoas em seu interior. Além disso, a rede estabeleceu limitações na quantidade de itens comprados por cada consumidor.

“Tivemos aumento de fluxo de pessoas em todas as nossas lojas nos últimos 15 dias, mas a medida adotada de controlar o acesso de clientes ao mesmo tempo nas lojas foi uma das ações propostas pelo nosso Comitê de Prevenção, que atua diariamente em prol da segurança e saúde dos colaboradores e clientes da empresa”, destaca a assessoria de imprensa da rede, citando que a finalidade desta medida, é evitar aglomeração em espaços. “A empresa acredita que reduzindo a circulação de muitas pessoas nos corredores das lojas é uma grande contribuição para evitar a transmissão do vírus Covid-19”.

O Pague Menos também tem intensificado a higienização de carrinhos e cestas de compras, assim como superfícies em geral como torneiras, maçanetas, pisos e balcões. Antes de entra na loja o cliente recebe álcool em gel em suas mãos e a barra do carrinho também é novamente higienizada. “Temos recebido muitos elogios de clientes por adotar essa medida, afinal, as pessoas sentem-se ainda mais seguras”, completa a assessoria.

A loja abre das 7h às 8h, com atendimento exclusivo para pessoas com mais de 60 anos. O Departamento de Prevenção faz o controle de entrada e saída dos clientes. Outra medida adotada pela rede foi a limitação de alguns produtos por CPF. “Isso não é por conta de abastecimento, até porque a indústria e os produtores rurais continuam trabalhando para que não falte produtos. A ideia é conscientizar as pessoas sobre o consumo. Nas lojas da Rede Pague Menos, o abastecimento segue normal”, finaliza a assessoria.

São Roque também altera sistema

Outro supermercado da cidade que adotou medidas rígidas diante da pandemia foi o São Roque. De acordo com o encarregado Maciel Machado dos Santos, a limpeza na loja triplicou. “Estamos fazendo a limpeza de carrinhos e dos setores praticamente de meia em meia hora. A entrada de clientes passou a ser controlada, com limite de 20 clientes por vez. Temos também a distribuição de álcool em gel para todos os que entram”.

Os funcionários também estão adotando medidas de proteção. “Todos usam luvas e máscaras; álcool em gel tem em todos os setores, tanto para clientes quanto para os profissionais”, explica o encarregado.

O processo de contato com o cliente também mudou. “Na padaria, deixamos de entregar os produtos ao cliente. Os produtos estão todos prontos e separados, cabendo ao cliente escolher. Já no açougue, o contato é mínimo, com os produtos já embalados”, explica.

De acordo com Maciel, apenas alguns produtos estão sendo limitados para compras. “Nosso Centro de Distribuição está muito cheio e não precisamos limitar, com exceção de alguns produtos. Itens como álcool em gel e produtos de limpeza, estão acabando muito rápido, e quando chegam, precisamos controlar a venda”.

Outro ponto positivo do supermercado é o preço das mercadorias. Mas o encarregado avisa que se a situação (de quarentena) persistir, os valores vão subir. “Até agora não houve aumento de preços. Inclusive, o Procon esteve na loja esta semana para fiscalização e afirmaram que nossos preços estão todos compatíveis com o mercado. Mas, acredito que se continuar essa situação, a tendência é que alguns produtos sofram reajustes”, argumenta.

Avatar

Caio Vinícius Dellagiustina

Jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *