Secretário destaca região do Complexo da Cachoeira e afirma: “Ali que vai funcionar o turismo”

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Wanderley Rigolin participou na última segunda-feira (7) de uma reunião na Câmara de Vereadores, atendendo a um requerimento do vereador Fábio Jorge, a fim de responder sobre a geração de emprego no município e o plano de desenvolvimento do comércio e também do turismo na cidade.

A reunião ficou marcada por um clima quente entre o secretário e, principalmente, o vereador Fábio Jorge. Wanderley teria ficado descontente com uma alegação do vereador para um suposto favorecimento à uma imobiliária que trabalhou anos atrás, na locação de um prédio público por parte do Poder Público Municipal. Porém, a reunião também serviu para que o secretário expusesse pontos importantes do trabalho desenvolvido pela pasta.

Rigolin disse que a Prefeitura está preparando projetos de lei para a atração de novas empresas e de flexibilização do horário do comércio. “Estamos em etapas de planejamento. Inclusive um novo Projeto de Lei para atrair empresas ao município, os senhores receberão em breve para apreciação”, explicou. O secretário continuou elencando as ações para o fomento do comércio. “Fizemos um plano sucinto, mas que é exequível. Iniciamos com uma campanha reforçada e abrangente para compra em Salto, com o apoio da Associação Comercial e estamos desenvolvendo um projeto de flexibilização do horário do comércio. Isso de alguma fora está acontecendo. Estamos vendo os comércios abertos até mais tarde. Não está tendo uma regra. Acho até que todo mundo está fechando os olhos para isso, os sindicatos, a própria Prefeitura, porque tem de deixar o comércio reagir. Ele que abra a hora que quiser. Agora, uma lei para que funcionem à vontade, a hora que quiser, respeitando as leis trabalhistas, eu acho muito interessante. O prefeito está até elaborando algo, mas isso depois que a pandemia passar”, afirmou.

O secretário falou ainda dos planos que tem para o Trem Republicano como centro das atenções ao turista que vier à Salto. “Eu acredito muito no projeto do trem. Itu é uma Estancia Turística de fato. Pra Salto ainda estamos caminhamos. Sempre tivemos o turismo pedagógico, mas não traz renda. Penso no turismo que traga renda para Salto. Estimular o restaurante naquela parte ali embaixo (Complexo da Cachoeira). Hoje o turista fica decepcionadíssimo. O turista desce na Estação e não vê nada. Nem um trenzinho, nem um ônibus. Se conseguirmos fazer tudo o que temos em mente, nosso turismo irá crescer muito”, destacou.

Rigolin ainda completou que pretende fomentar a indústria gastronômica na região do Complexo da Cachoeira, em roteiros que combinem com o Trem Republicano. “A ideia do Trem Republicano é trazer o turista de Itu, porque, não desprezando Itu, mas nossas atrações são melhores. Esse turista fará um roteiro turístico basicamente a pé, até a Ilha da Emae, inclusive levando restaurantes para aquela região. Qual cidade tem uma cachoeira no centro? Só nós temos esse privilégio. Então é ali o roteiro. Ali que vai funcionar o turismo”, explicou o secretário.

Turismo que gere renda

Uma das ideias do secretário de Desenvolvimento Urbano é implementar cobranças nos parques municipais para que o valor arrecadado auxilie o Poder Público na manutenção dos espaços. A cobrança seria exclusivamente para turistas de fora da cidade. “Não tenho pretensão de privatizar (outros parques, como aconteceu com o Parque de Lavras), mas cobrar sim para custear a manutenção. Em todas as cidades que vou, as atrações turísticas são pagas. Penso que as daqui também sejam pagas. Não para a população saltense. É preciso criar uma forma da população saltense não pagar, mas de fora ninguém liga pra pagar. Mesmo que seja um valor símbolo, é um valor que dá manutenção nos locais. E todo mundo se propõe a pagar. Isso é normal”.

O secretário falou que a cidade, atualmente, tem um turismo pedagógico muito forte, mas que rende pouco retorno ao município. A meta é continuar com esse tipo de turismo, mas acrescentar formas de arrecadação à cidade. “Temos pensar no turismo como renda. O Parque Rocha Moutonnée é um turismo pedagógico. Não vamos abandonar, mas não nos traz dinheiro”.

Posts Relacionado

Caravana da Coca Cola passará por Salto no dia 11 de dezembro

O Natal vem vindo e, junto com ele, a já tradicional Caravana de Natal Coca-Cola, que marca a contagem regressiva para a tão esperada data. Em Salto, o comboio passará no dia 11 de dezembro, em horário ainda não divulgado pela Sorocaba Refrescos, empresa responsável

Grupo AB Colinas abre processo seletivo para vagas em tecnologia

A AB Concessões, grupo do qual a AB Colinas, concessionária do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, faz parte, abriu processo seletivo para contratação de especialista de cyber security e em governança de TI para trabalhar em nosso escritório em Itu. Para