Secretaria de Meio Ambiente quer transformar Parque do Lago em “Santuário Ecológico”

O turista que chega em Salto não tem apenas a pandemia como um dos empecilhos para conhecer a história do município. Isso porque a maioria dos parques públicos estão fechados para manutenção sejam de melhorias ou de reforma, caso da Ilha dos Amores e do Memorial do Rio Tietê, danificados pela enchente de um ano atrás.

Nesta semana o PRIMEIRAFEIRA questionou a Prefeitura sobre a situação desses espaços. Alguns deles devem estar aptos para receberem os visitantes em breve, já outros, ainda ficarão fechados por um bom tempo. É o caso do Parque de Lavras que no final de 2020 foi objeto de licitação no qual o consórcio vencedor terá a concessão do local pelos próximos 35 anos. O contrato deverá ser celebrado até o final de abril, restando à vencedora da licitação apenas a apresentação de alguns documentos. Após isso, o parque passará por uma reforma que deve durar dois anos. “A principal e de interesse do consórcio concessionário é a (obra da) usina em si, cujo objetivo será a geração de energia, além da contrapartida de obras para incrementar a interatividade do parque. O consórcio concessionário estipulou um prazo de, no mínimo, 2 anos de obras e até lá, para total segurança dos turistas e munícipes, o parque permanecerá fechado”, explicou o Poder Público.

Outro local que deverá passar por uma grande intervenção é o Parque do Lago. De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente, a intenção é transformar o espaço em um “Santuário Ecológico”, atraindo ainda mais os munícipes e não perdendo a sua característica voltada ao lazer. A Prefeitura falou também que os aguapés que descaracterizaram a principal atração do parque, deverão ser retirados em breve. “Referente aos aguapés, já está em estudo a retirada, que necessita ser de forma adequada e permitida pela legislação”.

No caso da Ilha dos Amores e do Memorial, a intervenção deverá ser mais rápida. As ordens de serviço já foram dadas ainda em 2020 e já tiveram início as intervenções de limpeza, dentro do previsto no cronograma. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Wanderley Rigolin, disse à imprensa recentemente, que o projeto irá modificar um pouco a estrutura da Ilha e também fazer ajustes pontuais para que novos desastres ambientais não danifiquem os espaços. A expectativa do Poder Público é que ambos sejam entregues dentro de seis meses.

Já em relação ao Parque Rocha Moutonnée, Rigolin falou que tem muitas ideias a serem aplicadas, mas disse que está aguardando a conclusão da obra na entrada e no estacionamento do parque.

O reflexo dessas intervenção pode ser exemplificado no número de visitantes. Apesar de a pandemia ter influenciado, o número de visitantes nos parques públicos em 2020 foi cerca de 60% menor que o comparado a 2019. De acordo com informações apresentadas em relatórios da administração anterior, foram 159.496 turistas em 2019 e 67.832 em 2020.

Posts Relacionado

Salto se aproxima de 5 mil vacinados contra a Covid-19

De acordo com o boletim divulgado pela Secretaria de Saúde de Salto, a cidade já aplicou 4.918 vacinas contra o coronavírus. Dessas, 3.134 foram aplicadas em profissionais da Saúde, dos quais 1.006 já receberam inclusive a segunda dose. Por outro lado, a cidade registrou um