Salto é a cidade da região com menor percentual de Mata Atlântica

A cidade de Salto tem apenas 3,63% de sua vegetação nativa no município. O dado foi publicado na última semana no Atlas da Mata Atlântica, divulgado pela Fundação SOS Mata Atlântica. Ao todo, são 484 hectares de Mata Atlântica em Salto, o que equivale a 629 campos de futebol.

Dentre as cidades da região, porém, Salto é a que tem menor cobertura de sua mata original. Indaiatuba e Porto Feliz possuem, respectivamente, 4,66% e 4,08%; Itu, 9,77%; e Cabreúva ainda conta com mais de 29% de sua Mata Atlântica nativa.

Apesar da baixa cobertura vegetal, o levantamento mostra que nos últimos 20 anos, menos de 10 mil metros quadrados (1 hectare) da mata original foi destruído. Em Itu e Porto Feliz, por exemplo, entre os anos de 2005 e 2010, houve registros de desmatamento superior a 5 hectares.

Cerca de 40% dessa vegetação encontra-se às margens da Rodovia do Açúcar, próximo à divisa com os municípios de Porto Feliz e Elias Fausto. Já outro grande percentual, cerca de 30% do restante, está na área de proteção ambiental, na divisa com Cabreúva. Há ainda outro trecho importante de mata original na divisa com Itu, às margens da Rodovia Engenheiro Herculano de Godoy Passos, e outras duas áreas na região noroeste.

Todas as informações estão disponíveis no site www.aquitemmata.org.br que, de forma prática e lúdica, apresenta mapas interativos e gráficos com as informações atualizadas sobre o desmatamento e o estado de conservação de florestas, mangues e restingas nos 3.429 municípios da Mata Atlântica. A SOS Mata Atlântica preparou ainda a cartilha Aqui Tem Mata?, um guia para estimular nos espaços escolares o diálogo sobre o meio ambiente e a Mata Atlântica – sua história, situação, biodiversidade e a importância de protegê-la. O relatório completo do Atlas da Mata Atlântica 2019-2020 pode ser acessado em www.sosma.org.br e em www.inpe.br.

Posts Relacionado

Tijolos / Coleção / Fontes Históricas – Parte II

Continuação… Inicio com um dos preferidos da coleção, o F.F.B. Trata-se de um tijolo que almejava há algum tempo e via muitos dele no Museu de Salto. A sigla é a abreviação de Francisco Fernando de Barros, mais conhecido como Barros Jr. Ele veio parar

Marcando um encontro consigo mesmo

Você que começou a ler esse texto, peço licença para falar com seu lado mais íntimo, onde ninguém consegue entrar a não ser que você permita. Obrigada. Ter alguém tão perto de nossos pensamentos, principalmente daqueles mais sombrios ou tão perto dos nossos sentimentos, que normalmente