Ranking da Transparência classifica Salto como o pior município da região

Um levantamento divulgado pela Controladoria Geral da União (CGU) constatou que a cidade de Salto teve o pior desempenho entre os municípios da região em transparência pública. O Ranking de Transparência da Escala Brasil Transparente (EBT) – Avaliação 360° avaliou 691 entes federais, entre estados e cidades brasileiras os municípios com mais de 50 mil habitantes (com base nas estimativas de 2017, do IBGE). A avaliação da transparência ocorreu entre outubro de 2019 a setembro de 2020.

Entre as 691 cidades avaliadas, Salto ficou na 567ª colocação, com nota 4,88 (de 0 a 10), atrás de Itu (493ª colocação geral e nota 5,58); Indaiatuba (405º no geral e nota 6,0) e Porto Feliz (172º no geral com nota 8,58). No Estado, dos 137 municípios paulistas avaliados, Salto ficou na 113ª colocação. A melhor cidade do Estado foi Sorocaba, com avaliação nota 9,8, sendo a 20ª na classificação geral. Em termos comparativos, a nota média dos municípios foi 6,85.

Entre os itens avaliados pela CGU no site da Prefeitura de Salto, foram apontados a não disponibilização do conteúdo integral dos editais de licitação, e também a consulta aos resultados das licitações já ocorridas e não divulgação de relatório estatístico contendo a quantidade de pedidos de acesso à informação recebidos, atendidos ou indeferidos. Além disso, a CGU constatou que o município não respondeu à pedidos de acesso à informação

Posts Relacionado

Vereador que instituir Hip Hop como Patrimônio Imaterial do Município

O vereador Michel Oliveira, que substitui o vereador licenciado, Antonio Cordeiro, apresentou um Projeto de Lei que declara como Patrimônio Cultural de natureza imaterial do Município de Salto a cultura Hip-Hop. A proposta tornaria o Poder Público Municipal o responsável pelo desenvolvimento, fortalecimento e visibilidade

Nova fase de flexibilização começa a valer no domingo

A partir deste domingo (1º de agosto) o Estado de São Paulo entra em uma nova fase de flexibilização para o comércio e o funcionamento das atividades econômicas em geral. A fase de transição seguirá até o dia 16 de agosto, com a atual taxa