Prefeito Laerte Sonsin análise os 100 primeiros dias de governo e enfatiza trabalho do secretariado

No último sábado (10), completou 100 dias do atual mandato do prefeito Laerte Sonsin. E o PRIMEIRAFEIRA conversou com o chefe do Executivo sobre esse início de trabalho. Laerte explicou como foi assumir o governo, avaliou positivamente seu secretariado, pontuou os problemas a serem enfrentados e também projetou um segundo semestre positivo, principalmente em relação a geração de empregos. Confira:

PRIMEIRAFEIRA: 100 dias de governo. Para todo novo gestor esse prazo e marca efetivamente a apropriação do governo e de toda situação. Esse período foi suficiente para se dar conta de toda complexidade da máquina administrativa?

Laerte Sonsin: Já iniciamos a administração sabendo da complexidade da máquina administrativa. Aliás, se não fosse assim, sequer teríamos colocado nosso nome na disputa. Entretanto, esses 100 dias serviram para termos uma completa visão da real situação da administração municipal, principalmente diante das dificuldades impostas pelo período em que vivemos.

PF: Entre a eleição e sua posse no dia 1º de janeiro deste ano, o senhor pode compor a equipe de governo. Hoje, como avalia essas nomeações? Estão atendendo sua expectativa?

Laerte Sonsin: Sim. Mediante todo o cenário que atravessamos, com todos os desafios impostos, posso garantir que realmente tivemos as decisões certas quanto a essas nomeações. Conforme já respondi em outra entrevista, daria uma nota 9 de 10 para toda a equipe, pelo trabalho executado e por todas as conquistas e resultados obtidos, mesmo em um período difícil como esse.

PF: Como o senhor recebeu a Prefeitura?

Laerte Sonsin: Nós iniciamos esse ano praticamente sem cargos comissionados e com uma organização orçamentária que tem exigido muito sacrifício da nossa Administração, com vários contratos em andamento que comprometem as finanças.

PF: Quais as principais dificuldades encontradas nestes 100 dias dentro da prefeitura?

Laerte Sonsin: Com certeza a Saúde foi uma das principais dificuldades, tanto no que diz respeito a vacinação, como a mudança de gestão do Hospital, por exemplo, que consumiu muito do nosso tempo. Além disso, outra grande dificuldade foi a perda da quase totalidade dos cargos comissionados.

PF: Quais as melhorias já feitas na cidade durante este tempo? Seria capaz de apontar algumas ações que marcaram o início de sua administração?

Laerte Sonsin: Apesar de todas as dificuldades, todas as secretarias trabalharam muito e colocamos a Prefeitura em pleno funcionamento, com muitas ações realizadas. O próprio sistema de vacinação está sendo usado como referência pela organização. Claro que problemas acontecem mediante todo cenário, mas com esse sistema conseguimos evitar filas, espera, aglomerações e cumprir com todas as fases do processo. Criamos o PEP (Programa Especial de Parcelamento), criamos o Compra Local, iniciamos a tratativa para adotar o sistema de ensino Sesi em todas as escolas da rede pública municipal, realizamos inúmeras ações ambientais importantes, reestruturamos o POP para atendimento aos moradores de rua, realizamos um Carnaval diferente, de conscientização, que foi destaque nas mídias nacionais, implementamos o trabalho de ronda nos distritos industriais e elaboramos uma nova lei (inédita) de loteamentos.

PF: Quais as ações que o senhor gostaria de já ter executado, mas ainda não conseguiu?Laerte Sonsin: Já gostaríamos de estar implementando diversas ações da nossa Proposta de Governo. Entretanto, as dificuldades financeiras nos impediram. Mas gostaríamos, contudo, de destacar uma delas, que é a descentralização dos atendimentos de saúde, que ficou impossibilitada por conta da pandemia.

PF: O senhor está preocupado também com o cenário pós-pandemia?

Laerte Sonsin: Essa preocupação é algo real de todo gestor e de todo município. Exatamente por isso já estamos realizando uma série de ações, voltadas à essa retomada. Uma delas é a atração de novas empresas e criação de novos empregos. Para isso, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo está criando uma nova lei de benefícios fiscais, para atrair novas indústrias. É algo complexo, que leva em consideração as particularidades do nosso município. Além disso, Secretaria da Administração também criou a “Compra Local” – iniciativa que tem o objetivo de favorecer o fornecimento de produtos pelos comércios e empresas locais à Prefeitura. E vale ressaltar que também com grande foco voltado aos nossos distritos industriais, para melhor segurança e melhor infraestrutura desses locais. Por fim, queremos destacar que já recebemos várias visitas de empresários dispostos a investir em nossa cidade e mantemos as portas abertas a todos, para ouvir demandas e sugestões, sendo que, tão logo tudo isso passe, iremos intensificar as visitas periódicas às empresas locais.

PF: Qual será o principal foco de trabalho para o segundo semestre deste ano?

Laerte Sonsin: Ampliação de empregos e postos de trabalho, e atração de novas empresas e investimentos, com certeza serão um dos focos principais, sem deixar de lado os investimentos em Saúde e abastecimento de água, que são as maiores demandas da nossa cidade.

PF: Qual a relação que o executivo estabeleceu com o legislativo nestes 100 dias de governo? Esta relação tem sido satisfatória ao executivo?

Laerte Sonsin: Defendemos e respeitamos a independência do Poder Legislativo; compreendemos a importância do seu papel e entendemos que as opiniões contrárias e críticas, quando surgem, fazem parte da democracia e por isso fazemos questão de respeitar a todas.

PF: Como o senhor tem lidado com as críticas, muitas vezes ácidas, que estão sendo feitas ao seu governo nas redes sociais?

Laerte Sonsin: Sempre digo que críticas fazem parte e são fundamentais para que possamos, inclusive, adequar o percurso a ser seguido. Porém obviamente, nem sempre concordamos com algumas delas, pois muitas não possuem o real interesse de auxiliar para uma boa prestação dos serviços públicos. Mas ouvimos a todos.

Posts Relacionado

Ettore Liberalesso e os Lugares da Memória – Parte IV

Na quarta e última parte do livro “Lugares da Memória”, também este sendo a última parte do texto sobre o material, organizamos com o tema “Histórias de pessoas públicas com as quais convivi e aprendi”. A parte mencionada vem antes do epílogo, um belo poema

Você conhece o Maio Roxo?

O Maio Roxo é o mês dedicado ao diagnóstico precoce e qualidade de vida das doenças inflamatórias intestinais (DII). Apesar de existirem vários tipos os mais comuns da doença são: Doença de Crohn e Reticolite Ulcerativa. No Brasil, o número de casos dessas doenças tem