Março trágico: quase 400 postos de trabalho foram fechados na cidade

O terceiro mês do ano não foi nada bom para os saltenses. De acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), órgão do Ministério do Trabalho, a cidade viu fechar 393 postos de trabalho. Entre as cidades da região, Salto foi a única que teve saldo negativo na geração de empregos. No acumulado do ano (janeiro a março), o saldo também é negativo.

No balanço divulgado aponta que Salto registrou 1.123 admissões contra 1.516 demissões no mês de março. O setor mais afetado foi o de Serviços, com 543 admitidos e 965 desligamentos, registrando um saldo negativo de 422 vagas de trabalho.

Depois aparece o Comércio, que teve 203 contratações e 217 desligamentos, provocando um saldo negativo de 14 postos de trabalho. Já os setores da Construção e, principalmente, da Indústria obtiveram resultados positivos no terceiro mês deste ano. O primeiro teve duas novas vagas abertas (48 admissões e 42 demissões), enquanto a Indústria obteve um saldo positivo de 37 postos, com 326 admitidos e 289 desligados. O último setor avaliado foi a Agropecuária, que zerou, registrando três contratações e três demissões.

Acumulado do ano

Considerando os dados do primeiro trimestre (janeiro a março), Salto teve 3.487 admissões contra 3.849 desligamentos, registrando um saldo negativo de 362 vagas.

Mais uma vez o setor de Serviços é o mais afetado. Foram 1.577 admissões no período e 2.030 demissões, o que provocou um saldo negativo de 453 postos de trabalho.

O Comércio vem na sequência, com o fechamento de 151 vagas no mesmo período (645 contratações e 796 desligamentos).

O melhor desempenho é o da Indústria, que registra 1.117 admissões contra 899 demissões (saldo positivo de 218 vagas). Depois aparece a Construção, com 138 contratações e 120 desligamentos (saldo positivo de 18 vagas) e por último a Agricultura, com 10 admitidos e quatro desligados (saldo positivo de 06 postos de trabalho).

Números da região

Entre as cidades próximas a Salto, quem mais se destacou na geração de empregos foi Indaiatuba. No mês de março, foram 3.736 admissões e 2.910 demissões, resultando na abertura de 826 postos de trabalho.

Depois vem Itu, que teve 2.057 contratações contra 1.804 desligamentos (saldo positivo de 253 vagas). Na sequência aparece Porto Feliz que criou 124 postos de trabalho (foram 611 contratados e 487 desligados). Cabreúva teve saldo positivo de 96 vagas (582 admissões e 486 demissões) e por fim, Elias Fausto, com 316 contratações e 279 desligamentos, o que gerou 37 novos postos de trabalho.

Prefeitura diz que números negativos são provenientes da mudança de gestão no Hospital

A reportagem do PRIMEIRAFEIRA procurou a Prefeitura de Salto para saber o que poderia ter provocado essa crescente alta no desemprego. Em resposta, o Poder Executivo justificou que a alta de demissões pode estar relacionada a mudança na gestão do Hospital Municipal, que culminou com a saída do IBDAH. “Embora o Caged não especifique a que se referem tais números, ou seja, qual seria o órgão demissório, constatamos que provavelmente esse número negativo se refere às demissões do IBDAH, registradas no mês de março, período em questão. Como pode ser verificado, nas demais áreas, mesmo nas mais atingidas pela pandemia, como o comércio, os números se mantiveram com pouca queda (apenas -14) ou até mesmo positivos (+ 37 indústria; + 6 construção).

Posts Relacionado

Inscrições para mostra de presépios vivos estão abertas

Estão abertas as inscrições para a Mostra de Presépios Vivos, promovidas pela Secretaria de Cultura. Os interessados têm até o dia 6 de dezembro para se inscreverem. Basta ir até a sede da Secretaria da Cultura, situada à Praça Antônio Vieira Tavares, 20, no Centro,