MARÇO DAS MULHERES

Neste domingo, 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Mais do que um dia para festejar, é uma data para refletir, afinal, a cada 8 de março, as mulheres trazem à tona questionamentos sobre a hipocrisia em torno das homenagens que recebem apenas nessa data.

A reportagem do PRIMEIRAFEIRA traz o depoimento de algumas mulheres para saber, na opinião delas, o que avançou e o que falta avançar na valorização da mulher.

As respostas são diversas, há relatos pessoais e até desabafo de mulheres que, muitas vezes, precisam enfrentar uma luta diária por mais espaço e respeito. São situações que vão desde o machismo até a falta de respeito por parte de toda a sociedade.

Por outro lado, as entrevistadas destacam o aumento da independência da mulher em relação ao homem e ao mercado de trabalho, mas que está longe de ser o ideal.

Confira os depoimentos:

“Neste Dia Internacional da Mulher, temos o privilégio de comemorar a conquista de diversos direitos, não que pretendamos ser iguais aos homens, apenas e tão somente almejamos sermos vistas como um ser humano, na mesma condição de igualdade e capacidade. Embora tenhamos muitos motivos para comemorar, temos ainda muito para se conquistar, como combater o preconceito de gênero no mercado de trabalho, visto que muitas vezes a mulher é subestimada em relação aos homens. Temos que combater também o silêncio em que muitas mulheres se isolam e permanecem confinadas por anos a fio, passando as mais diversas privações, por medo de seu esposo/companheiro, em razão da falta de efetividade da nossa legislação. Enfim, o que eu desejo à todas as mulheres neste dia tão especial, é que lutem por seus direitos, realizem todos os seus sonhos, inclusive aqueles mais excepcionais, sem perder a esperança, a delicadeza, a doçura, o amor incondicional e a serenidade que a mulher exala em qualquer local e situação”.

CÁSSIA CRISTIAN PAULINO, 43 ANOS, ADVOGADA


“Avançou na independência da mulher, que hoje já não precisa depender do homem, porque no tempo das nossas mães era sempre ele, o esposo, mas agora a mulher é independente, trabalha, cria os filhos sozinha, toma conta de casa sozinha. Mas a sociedade precisa valorizar a independência da mulher, respeitá-la. A sociedade vê a mulher como diamante bruto e que quer talhá-la do jeito que quer, mas a mulher não quer isso”.

MICHELLE RADAEL – 34 ANOS – VENDEDORA


“Falando de minha vivência no esporte, sobretudo na corrida de rua, as mulheres têm muito a comemorar. Estou no esporte desde 1987 e era muito difícil para as mulheres, já que sempre houve distinção, sobretudo nas premiações. Hoje, muita coisa mudou. Eu, outras atletas e as confederações seguimos lutando para que haja igualdade no esporte. Atualmente, no atletismo, as premiações são as mesmas, e há provas em que muitas mulheres chegam a frente dos homens, como aconteceu comigo em 2017, mostrando uma evolução em termos de performance. As mulheres também têm aumentado sua participação. Antes tínhamos provas com 200 mulheres e já era considerada um sucesso. Hoje, numa São Silvestre, já são 15 mil que participam. A mulher, hoje é atleta, é maratonista, e é técnica, no meu caso, sempre com todo o respeito dos outros profissionais. Ainda há bastante desigualdade, mas estamos evoluindo a cada dia”.

GIOVANNA COSTA MARTINS – 37 ANOS – ATLETA


“Acredito que a principal conquista da mulher, ao longo dos anos, é a independência. E tantas são essas independências, sejam físicas, financeiras, de opiniões e até mesmo emocionais. Na física, a mulher hoje é quem decide o seu visual, a roupa que quer usar, o cabelo que quer ter, para onde quer ir e vir; na financeira, ela assume papéis dentro e fora de casa e se mantém em pé de igualdade com os homens; na de opiniões, ela dialoga e discorda sem medo, decide se e quando casar e ter filhos, por exemplo; e na emocional, ela se vê cada vez mais livre para falar sobre seus medos e enfrentá-los, tendo mais autonomia e maturidade para seguir em frente e ser feliz, mesmo com as dificuldades do caminho”.

KARINA CAMARGO – 39 ANOS – JORNALISTA E MICROEMPREENDEDORA


A mulher é aquela que traz a luz e ameniza a dor …. que estende o braço e acolhe no abraço ! Que se cuida , se arruma e também cuida do outro.

Luta pelo seu espaço na sociedade e ganha respeito nas organizações a cada dia !

E hoje ocupa a posição essencial em todas as relações!

Não se trata de sexo frágil e sim de sexo sensato !

Parabéns a todas nós que exercemos nossos direitos e dedicamos tempo e habilidade para driblar as diversidades.

NATALIA ROMERO LOPES, 33 ANOS , PSICOLOGA / RH- IBER-OLEFF COM FOCO EM DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS


Todo dia é dia de comemorar, em especial nesse dia 8 de março, quero celebrar a força que a cada dia estimula a nossa coragem de agir, vencer, de dar a volta por cima com o dom de iluminar a todos com delicadeza e um simples sorriso. Que não somente hoje mas em todos os dias da nossa vida possamos celebrar o dom de sermos amadas e reconhecidas!

BRUNA BRAZ, 28 ANOS – PEDAGOGA


A principal conquista da mulher é desempenhar, com eficácia, diferentes papéis e responsabilidades. Além dos tradicionais cuidados com a casa, com os filhos e com o marido, a mulher cada vez mais cuida do próprio corpo, imagem e saúde, e assume, dia a dia, importantes presenças e papéis, como os diversos cargos de gestão à frente de pequenas, médias e grandes empresas e corporações, bem como o próprio empreendedorismo, nas mais diferentes áreas.  Essa superação do próprio papel de “ser mulher”, que hoje é desempenhado de maneira igualitária ao homem, é sua maior conquista!

FRANCISCA RUFINO, 54 ANOS – PRESIDENTE DA ACIAS


Neste dia 08 de março, intitulado como “Dia Internacional da Mulher”, deve ser celebrado e comemorado com simplicidade e estilo, assim como são todas as mulheres, únicas e especiais.

Batalhadoras, vencedoras, aquelas que acordam antes de todos, prepara tudo para todos, durante o dia trabalha como os homens, no final do dia brinca com as crianças, cuida das tarefas escolares, brinca de novo, cansa, faz a janta e lava roupas de salto alto (por que ainda não deu tempo de tirar os sapatos) e ao final do dia, ela sempre é a última a ir dormir. Com tristeza? JAMAIS, isso é ser mulher, é se doar, é amar, é fazer o bem ao outro, é ser mãe, é ser pai quando precisar, é ser filha, é ser amiga, é ser conciliadora, médica e até psicóloga, é ser um pouquinho de tudo que a vida lhe exige, e tudo que Deus lhe confia!!!

Ser MULHER é ter o dom de dar a vida, e morrer por ela. Símbolo de amor!!

Feliz o homem que por um só dia, puder entender a alma de uma mulher !!! Feliz Dia Internacional das Mulheres!!!

VANESSA COLTRE, 29 ANOS, ADVOGADA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *