Estudo mostra que saltense gasta em média 174 litros de água por dia

O Instituto Trata Brasil divulgou na última quarta-feira (7), o mais novo levantamento do “Painel Saneamento Brasil”, com base nos dados mais recentes disponíveis pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), de 2018, apresentando indicadores de 839 municípios sobre saneamento básico.

O levantamento aponta dados relacionados ao consumo de água, esgoto coletado e esgoto tratado, além dos investimentos feitos por cada município nesses indicadores. A cidade de Salto, por exemplo, é uma das que mais gastam com saneamento por pessoa, dentre os municípios de nossa região. Em 2018, as despesas com saneamento foram de R$ 405,48 per capita, atrás apenas de Indaiatuba, com R$ 437,68 por capita no mesmo ano. Itu, por exemplo, gasta menos de R$ 300 por pessoa com saneamento.

Nesse quesito, os números de Salto são superiores à média nacional. No Brasil, a despesa per capita com saneamento tem valor médio de R$ 313. Salto tem um gasto um pouco menor do que a média do Estado de São Paulo, estado com maior gasto, estimado em R$ 450 por pessoa.

Por outro lado, o investimento em saneamento apresentou uma queda nos últimos dois anos avaliados (2017 e 2018), quando comparado aos quatro anteriores (2013-2016). Entre 2013 e 2016, foram investidos mais de R$ 34 milhões em saneamento, uma média de R$ 8,5 milhões ao ano. Já entre 2017 e 2018, foram investidos apenas R$ 2,9 milhões, uma média de R$ 1,5 milhão ao ano.

Água e esgoto

No levantamento, também é possível constatar que a cidade de Salto é uma das que possuem maior perda na distribuição de água dentre os municípios da região. 42,2% da água captada é perdida por falhas na rede de distribuição. Na região, apenas Itu tem números piores, com mais de 50% da água perdida. Os números de Salto são piores inclusive, do que a média nacional, de 38,5% de perda na distribuição.

A população saltense colabora para uma estatística pouco satisfatória. O saltense gasta em média 174,61 litros de água por dia, muito acima do recomendado pela Organização das Nações Unidas, que é de 110 litros/dia por pessoa. Dentre as cidades da região, Salto só fica atrás de Indaiatuba, com um consumo de 183,76 litros/dia por pessoa. O consumo total de água em 2018, por exemplo, em Salto, foi 15% maior que em relação a 2017.

Com relação ao esgoto, Salto tratou 92% do esgoto coletado, apesar de possuir uma das maiores tarifas de coleta de esgoto. Em média, a tarifa custa R$ 3,16 por metro cúbico coletado. Itu, em comparação, tem uma taxa de R$ 2,40/metro cúbico.

Avatar

Caio Vinícius Dellagiustina

Jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *