Maioria dos pais que tem filhos em escolas particulares é a favor do retorno das aulas presenciais ainda neste ano

Ao fazer uso da Tribuna Livre na sessão de Câmara na última terça-feira (1º), o vereador Cícero Landim trouxe a público uma pesquisa, realizada pelo Conselho Municipal da Educação, em que os pais opinaram sobre a questão da volta às aulas. Segundo o documento, na rede pública municipal, mais de 80% dos entrevistados não é favorável ao retorno dos filhos as aulas presenciais. Porém, na rede particular, a maioria dos pais consultados mostrou ser favorável ao retorno das aulas presenciais ainda neste ano.

“A Secretaria da Educação fez uma pesquisa junto aos pais e, nas escolas do município, 88,3% não querem que os alunos voltem para a escola. Na escola particular o negócio é mais apertado e 50,3% querem que voltem e 49,7, querem que não voltem”, informou o vereador.

O PRIMEIRAFEIRA teve acesso ao relatório e constatou que o Conselho Municipal da educação ouviu 7.101 pais de todas as 15 unidades do Cemus da cidade. Já na rede particular, foram consultados apenas 199 pais/responsáveis. “A pesquisa da rede pública e particular foi realizada entre os dias 27 a 30 de agosto, com o objetivo de ouvir a opinião dos pais ou responsáveis. Para as unidades escolares privadas, a pesquisa foi encaminhada e era opcional a resposta, portanto algumas unidades aplicaram e deram retorno e outras não, sendo a mesma um indicador relevante para tomada de decisão, portanto é considerado suficiente”, explicou a Prefeitura.

O Conselho Municipal da Educação também realizou uma pesquisa com os servidores da Educação do município sobre o retorno das atividades presenciais. No total foram colhidas 1.179 respostas, sendo 428 apenas de professores. 94,5% dos entrevistados disseram que não se sentem seguros em retornar as atividades presenciais neste ano; e apenas 5,5% se mostraram favoráveis ao retorno das atividades.

Para 92,8% dos servidores, as aulas devem continuar remotas até o final do ano; enquanto 7,2% são a favor do retorno das aulas presenciais.

Garotinho fala que não há estrutura para a volta às aulas em 2020

O assunto da volta às aulas também foi comentado por outros vereadores na sessão. Porém, todos se mostraram contrários ao retorno das aulas presenciais neste ano. “Quero dizer da minha preocupação como pai, já que meu filho estuda em uma escola municipal, sou permanentemente contra a volta às aulas. Não tem como voltarmos as aulas em virtude da estrutura que temos”, disse Garotinho.

O vereador relatou que manteve contato com algumas mães que também estão receosas com a situação. “Conversei com algumas mães e elas me disseram que, se for voltar, teria de ser para alunos da quarta ou quina série em diante. As crianças pequenas são muito afetivas, não conseguem ficar com as máscaras, abraçam um ao outro e compartilham seus alimentos. Espero que a secretaria municipal e a secretaria estadual de Educação façam com que não tenha aulas esse ano”, complementou.

 O vereador Antonio Cordeiro também mostrou sua insatisfação com o retorno das aulas neste ano. “Entendo que essa preocupação dos pais na rede básica, se dá pelas condições que serão dadas as crianças. Na mesma hora que há uma pesquisa, também deveria ser apresentado um plano. Temos 11 servidores públicos da educação, afastados pela Covid (confirmado ou suspeito)”, salientou.

Rede municipal de ensino retorna com aulas presenciais apenas em 2021

A Prefeitura de Salto, através da Secretaria da Educação, divulgou nesta quinta-feira (3), que as aulas presenciais na rede municipal de ensino retornarão apenas em 2021 e neste ano seguem com as aulas remotas. O Decreto 292 será publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (4).
A decisão foi amplamente discutida pelos gestores do executivo, assim como membros do Conselho Municipal da Educação e a Comissão Municipal de Gerenciamento da Pandemia Covid-19 no âmbito da Educação e a decisão também foi pautada pela pesquisa realizada entre os dias 27 a 30 de agosto, onde apontou que 88,3% de pais e responsáveis são contra o retorno das aulas presenciais e 83,3% são favoráveis a aulas remotas, conforme tem sido disponibilizado pela Secretaria da Educação, desde o início da pandemia.
As Unidades Educacionais de Ensino Privada sob jurisdição do Município que optarem pelo retorno gradativo das atividades presenciais terão de seguir todas as normativas de segurança determinadas durante o período de pandemia, sejam elas em âmbitos municipais, estaduais ou federais e também deverão apresentar um plano de retorno, a partir do dia 8 de setembro.
Já a Rede Pública Estadual de Ensino e as Instituições Educacionais Privadas do Município de Salto, sob jurisdição do Estado, estão autorizadas ao retorno gradativo das atividades presenciais, a partir de 8 de setembro de 2020, desde que sigam as normas estabelecidas pelo “Plano São Paulo” do Governo do Estado.

Posts Relacionado

Memórias…

Ao longo de quase cinco anos que estou escrevendo textos aqui no “dedinho de prosa”, já publiquei muitos sobre biografias de pessoas baseadas em memórias, jornais ou outras documentações que serviram de inspiração e fonte histórica para narrar a vida de artistas, políticos, entre outros

Qual a perspectiva econômica para o último trimestre de 2021?

A pandemia da Covid transformou os anos de 2020 e 2021 em verdadeiros desafios para todos os brasileiros, nesse momento a vacinação vem avançando, as infecções e óbitos vem recuando gradativamente e aos poucos estamos conseguindo retornar para o mais próximo possível de uma rotina

Indaiatuba sedia 2ª edição de Encontro Musical

Para expandir as possibilidades de acesso ao conhecimento musical e ampliar o contato com esta arte, a Orquestra Sinfônica de Indaiatuba, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de Indaiatuba, realiza o 2º EMIn (Encontro Musical de Indaiatuba), entre os dias 29 de outubro e 2 de