Geraldo Garcia pede pressão política da nova gestão para que obra do IFSP seja concluída

diretoria do Instituto Federal de São Paulo – Campus Salto recebeu quarta-feira (16) a visita do prefeito Geraldo Garcia e também da imprensa local para apresentar as obras do novo prédio da instituição, que está em construção no bairro Central Parque.

Com quase 80% da obra já concluída, a instituição educacional pretende iniciar as atividades nas novas instalações a partir do segundo semestre de 2021. Para isso, tanto o instituto quanto a Prefeitura, aguardam a liberação do recurso junto ao Ministério da Educação. A verba, de aproximadamente R$ 3 milhões, está parada nos cofres federais, o que obrigou a empresa responsável, H2Obras Construções, a desacelerar o ritmo das atividades. “É bom destacar que as obras não estão paradas, elas estão desaceleradas. Estamos aguardando esse recurso para a conclusão, mas a empresa segue trabalhando”, destacou o diretor administrativo e futuro diretor geral do IFSP, Edilson Bueno.

Apesar de as obras estarem adiantadas, o prefeito Geraldo Garcia relatou certa frustração, pois sua expectativa era inaugurar a obra ainda neste ano. “É uma difícil interlocução com o Ministério da Educação. O Paulo Guedes (Ministro da Economia) está segurando tudo, talvez para esses próximos dois anos”, disse.

Durante a visita, o chefe do Executivo anunciou que irá se reunir nos próximos dias com o prefeito eleito, Laerte Sonsin, para que a nova administração dê prioridade total para o término da obra, cobrando representantes estaduais e federais para a liberação do recurso. “Tem de haver pressão política, na Câmara e com o próximo prefeito”, enfatizou Geraldo Garcia.

A obra

O novo prédio do IFSP será composto por quatro blocos, sendo três educacionais e um administrativo, além de um amplo espaço de estacionamento em uma área de 35 mil metros quadrados. A diretoria tem projetos que deverão ser realizados posteriormente, como a construção de um espaço para refeições, quadra poliesportiva e um anfiteatro para solenidades. O campus foi construído de maneira sustentável, com reutilização de água das chuvas para regar os jardins e geração de energia solar.

Posts Relacionado