Funerária Saltense explica cobrança de taxa de manutenção: “Não é obrigatória”

Nos últimos dias, moradores de Salto receberam, via correios, carnês cobrando uma taxa anual de R$ 270 (divididos em dez parcelas de R$ 27,00) referentes a conservação e limpeza dos jazigos dos cemitérios municipais, emitidos pela Empresa Funerária Saltense (EFS), responsável pelos cemitérios da Saudade e do Éden.
Na tarde de ontem (2), o PRIMEIRAFEIRA conversou com o diretor, que explicou que essa cobrança não é obrigatória e que está prevista no contrato que venceu o edital em 2015. “Estamos apenas cumprindo a Lei. Não estamos criando taxas. Estamos apenas colocando em vigor o que estava presente no edital de concorrência”, disse.
 
Veja mais na edição impressa.
Posts Relacionado

Vereador que instituir Hip Hop como Patrimônio Imaterial do Município

O vereador Michel Oliveira, que substitui o vereador licenciado, Antonio Cordeiro, apresentou um Projeto de Lei que declara como Patrimônio Cultural de natureza imaterial do Município de Salto a cultura Hip-Hop. A proposta tornaria o Poder Público Municipal o responsável pelo desenvolvimento, fortalecimento e visibilidade

Nova fase de flexibilização começa a valer no domingo

A partir deste domingo (1º de agosto) o Estado de São Paulo entra em uma nova fase de flexibilização para o comércio e o funcionamento das atividades econômicas em geral. A fase de transição seguirá até o dia 16 de agosto, com a atual taxa