Educação é considerada excelente em Salto, mas Saúde está em “situação crítica” aponta ranking

Um levantamento promovido pelo Grupo Bandeirantes de Televisão em parceria com o Instituto Aquila, constatou que a cidade de Salto dispõe de uma das melhores qualidades de ensino público do país, entre as cidades com mais de 100 mil habitantes. Esse estudo faz parte do Prêmio Band Cidades Excelentes, criado com o objetivo de reconhecer iniciativas pioneiras de gestão, incentivar a implementação de projetos de melhoria na esfera pública, disseminar soluções que sirvam de referência para outros municípios e valorizar os servidores públicos que atuam de forma proativa em benefício da população.

A cidade aparece na 15ª colocação no quesito Educação, tendo sido avaliada com nota 84,52, o que, de acordo com a metodologia do estudo, classifica a cidade como Excelente. A melhor cidade com mais de 100 mil habitantes em desempenho na Educação pública é Toledo (PR). Já levando em consideração todos os 5.568 municípios, a melhor cidade no quesito é São José do Inhacorá (RS). Na comparação regional, Salto supera todos os municípios vizinhos em qualidade de Educação municipal.

A análise desse resultado é feita por meio do Índice de Gestão Municipal Aquila (IGMA), formado por 41 indicadores que representam a situação de cada município, gerando uma nota final, em uma escala de 0 a 100 em cinco pilares: Eficiência Fiscal e Transparência, Educação, Saúde e Bem-Estar, Infraestrutura e Mobilidade, e Desenvolvimento socioeconômico e Ordem Pública. Quanto mais próximo de 100 for o índice, mais excelente é a cidade e quanto mais próxima de 0, mais crítica ela é. Na área da educação, os indicadores municipais levados em consideração são a taxa de analfabetismo, a expectativa em anos de estudo, a taxa de abandono nos anos iniciais do Ensino Fundamental, o gasto com Educação por aluno, os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), a distorção idade-série e o acesso à Educação Infantil.

Nos outros quatro pilares avaliados, Salto foi considerada desenvolvida em “Desenvolvimento Socioeconômico” e “Infraestrutura e Mobilidade Urbana”; além de estar em desenvolvimento no quesito Eficiência Fiscal e Transparência. A Saúde em Salto foi o grande ponto negativo, sendo apontada como uma das piores do país (5.071º no ranking nacional).

O IGMA de Salto foi nota 64,20, sendo a 349ª no Estado e a 1.089ª no Brasil. Dentre as cidades vizinhas Salto fica à frente apenas de Cabreúva, que teve nota geral 60,75. Indaiatuba é a mais bem ranqueada com 71,39 pontos no IGMA.

Saúde em situação crítica

De acordo com o levantamento, Salto obteve apenas 40,44 pontos (de 0 a 100) em Saúde, o que considera “crítica” a situação no município. O índice leva em consideração a cobertura da Estratégia Saúde da Família (indicador que maior pesou negativamente para a baixa nota recebida pelo município), a expectativa de vida ao nascer, o número de leitos hospitalares gratuitos para cada mil habitantes, número de profissionais da saúde, taxa de mortalizada infantil e até mesmo a situação da Covid-19 no município.

Em relação ao Covid-19, aliás, Salto tem, segundo a pesquisa, uma taxa maior de mortes para cada mil habitante do que quando comparado com o Estado de São Paulo e quase 30% mais que a média nacional.

Posts Relacionado