Desemprego segue crescendo em Salto

A pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19) continua afetando muito a vida da população. Prova disso é o índice de desemprego que segue aumentando na cidade. De acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) no primeiro semestre deste ano ocorreram 5.116 demissões contra 4.281 pessoas que foram contratadas. Isso significa que foram fechados na cidade 835 postos de trabalho.

Só no mês de julho foram registrados 571 desligamentos e 501 demissões, um saldo negativo de 70 vagas.

Em junho, o setor de Serviços foi o que mais fechou postos de trabalho, com 274 demissões contra 205 contratações, registrando um saldo negativo de 69 vagas.

Depois aparece o setor de Indústria, com 169 demissões e 158 admissões, saldo negativo de 11. Já a Construção teve saldo positivo, com 21 contratações e 16 desligamentos. O setor do Comércio também fechou no positivo: foram 116 admissões contra 112 demissões.

No acumulado do ano, o desempenho é negativo em praticamente todos os setores. O Comércio foi o que mais perdeu postos de trabalho. No primeiro semestre deste ano foram 1.170 demissões e 811 contratações, saldo negativo de 359 vagas.

Depois vem o setor de Serviços, com 2.204 desligamentos e 1.957 admissões, saldo negativo de 247 vagas. Na sequência aparece a Indústria, com 1.509 desligamentos e 1.276 admissões, saldo negativo de 233. E a Construção teve 227 demissões contra 226 contratações, saldo negativo de uma vaga.

O único setor que teve saldo positivo no primeiro semestre foi o de agropecuária, com 11 admitidos e 06 desligados, saldo positivo de 5.

Na região

A onda de desemprego também é assustadora nas cidades vizinhas. Em Itu, por exemplo, foram 1.174 demissões no mês de junho contra 977 contratações, o que resulta em um saldo negativo de 197 postos de trabalho. Já no acumulado do ano, entre janeiro e junho, são 9.363 demissões contra 7.241 admissões, o que deixa um saldo negativo de 2.122 postos de trabalho fechados.

Na cidade de Indaiatuba, o mês de junho teve 1.639 contratações e 1.382 demissões, deixando um saldo negativo de 257 vagas. Na soma do primeiro semestre, são 14.466 trabalhadores que perderam seus empregos contra 12.226 pessoas que foram contratadas, um saldo negativo de 2.240 postos de trabalho.

Avatar

Caio Vinícius Dellagiustina

Jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *