Como agimos

No presente, algumas pessoas sentem muita vontade de apagar o passado. Mas ele fica ali, te assombrando os dias atuais e no futuro prosseguirá ao lado, ele todinho, na distância de um fechar de olhos. De olhos abertos ele também existe, mas sob a luz, acredito que ele amaina, fica mais leve.

Tem horas em que eu penso que lembranças que nos assombram, do passado, deveriam simplesmente não existir. Em outras tenho a certeza de que devem nos lembrar de algo que fizemos ou nos fizeram, para que nunca mais volte a acontecer.

Como acredito que na vida tudo é exatamente da maneira que tem que ser, não sei qual o sentido de eu querer que as más lembranças não existam.

Mas como a mente não possui um botãozinho com a função liga e desliga, vou seguindo nos meus pensamentos e imaginando os que sofrem (ou nem) pelo que fizeram, que gostaria fosse apagado para todo o sempre e em como a vida neste sentido deve ser ruim. Só que mais ruim deve ser a vida de quem recebeu o feito que não se apaga, que dói, que cala, que muda a vida, que faz perder a alegria de viver e de existir.

Enquanto vou pensando tudo isso, penso também em quanto eu gostaria de mudar passados que observei e notei e os que nem notei, mais. Nem eu, nem ninguém tem esse poder. Nem na própria vida, quanto mais na vida do outro.

O que se faz então quando se entende isso:

“Você não tem o poder de mudar o que passou.”

Vai lidando, vai vivendo, vai torcendo, vai querendo, vai desejando que a mente de cada um tenha forças, com auxílios ou não, de se libertar de tudo o que dói, machuca e maltrata, mesmo que esteja lá longe, num lugar chamado “nunca mais”. Nunca mais perto de mim, nunca mais me arrancando de mim, nunca mais me fazendo um mal tão grande a ponto de que não se deseje mais viver, para ver se aquilo tudo que se sente e se pensa, passa.

É esse meu sincero desejo aos que gostariam que o passado fosse sumariamente deletado das suas vidas. Tenha ânimo, revisite o passado quantas vezes achar necessário e um dia, diga a ele que o que você nele viveu, que hoje te deixa de boca salgada, de nó na garganta, que não precisa mais lembrar, pois seu presente é bom e seguro e que seu futuro te dará tanta coisa boa que você não voltará mais lá atrás, sofrer de novo com o que viveu e que mesmo que não se apague, você não mais se apegue e seja livre!

E que quando “a mente, morde silenciosamente o coração” o seu se encha da certeza de que tudo nesta vida será exatamente como tem que ser e que o poder de transformar coisas ruins em trampolim para alegria e felicidade, só depende de você.

E conforme vou pensando, vou também mentalizando e escolhendo para você, todo o amor que há nesta vida. O queira também!

Posts Relacionado

Já dá para falar de casamento?

Ah já. Da para falar do que você quiser. Falar é o que mais se pode fazer neste momento. Dá para casar? Dá também, desde que para você casamento seja um contrato assinado em cartório entre duas pessoas com mais duas de testemunha e um

A vida continua…

Estamos há mais de um ano vivendo em uma nova realidade, a de conviver com um inimigo invisível, devastador e que, certamente está ao nosso lado. Foram muitas perdas, muitas famílias desestruturadas e cheias de dor. Foram necessárias inúmeras mudanças de hábitos, da nossa rotina,