Cidades paulistas vacinam em ritmo desigual e cobertura varia de 11% a 78%

Apesar dos avanços anunciados pelo governador João Doria no calendário de vacinação paulista, com previsão de imunizar todos os adultos até 15 de setembro, o ritmo nas cidades ainda é desigual, com variações na primeira dose de 11% a 78% de cobertura total. Algumas se queixam de falta de doses, enquanto outros municípios estão mais adiantadas do que prevê o calendário do Estado.

Um dos exemplos é Campinas, que vacinou 33,34% da população, segundo dados do Vacinômetro estadual. Já a cidade de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, atingiu cobertura de 20,38%. “Temos recebido menos doses, embora nossa população seja maior”, informou a Prefeitura. Até esta quinta-feira, Campinas havia recebido 644 mil e Guarulhos, 579 mil doses, sendo que a cidade da Grande São Paulo tem 1,39 milhão de habitantes e a do interior, 1,21 milhão.

Conforme os dados do Vacinômetro, plataforma do governo do estado que divulga o andamento da campanha, Salto é uma das cidades que menos vacinou a população até agora. Dos 645 municípios que integram o ranking, Salto aparece apenas na 496ª posição, com apenas 26% da população vacinada. De acordo com os dados disponibilizados pelo governo, até esta quinta-feira (17), foram aplicadas 44.517 doses da vacina. A cidade já recebeu 58.080 doses, o que significa que foram aplicadas 76,65% das doses recebidas.

Do total de doses recebidas pela Prefeitura de Salto, aproximadamente 50% corresponde à AstraZeneca, 45% é Coronavac e apenas 5% é da Pfizer.

No ranking do Vacinômetro estão atrás de Salto, as cidades de Porto Feliz (514º lugar), com 25,4% da população vacinada; Elias Fausto (518º lugar), com 25,2%; Sorocaba (567º lugar), com 23,3% e Cabreúva (631º), com 18,5% da população vacinada.

A cidade da região melhor colocada é Indaiatuba, que aparece na 350º posição, com 29,5% da população vacinada. Depois vem Itu, em 461º lugar, com 26,8%.

Dos 645 municípios existentes no Estado de São Paulo, a cidade que mais vacinou foi Botucatu, com 78,7% da população sendo vacinada. O município é um caso isolado, pois foi escolhido para participar de uma vacinação em massa, como parte de um projeto de estudo da vacina produzida pelo laboratório AstraZeneca, Universidade de Oxford e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), elaborado pela parceria entre a prefeitura, Ministério da Saúde, Governo Federal, Unesp, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, e Fundação Gates. Foram aplicadas 116.528 doses da vacina. Depois aparece Serrana, que imunizou 74,1% da população, com a aplicação de 33.801 doses (a cidade possui 45.644 habitantes).

Já a pior cidade do Estado no ranking de vacinação é Balbinos, que dos 5.934 habitantes, vacinou apenas 11,58% da população.

Governo explica distribuição de doses

Em nota, a Secretaria da Saúde do Governo de São Paulo afirma que as doses enviadas para a cidade são suficientes. Segundo a nota, o cálculo de distribuição de vacinas é feito pelo Ministério da Saúde, de acordo com o número de pessoas imunizadas contra a gripe em 2020 em cada município.

Posts Relacionado

Inscrições para mostra de presépios vivos estão abertas

Estão abertas as inscrições para a Mostra de Presépios Vivos, promovidas pela Secretaria de Cultura. Os interessados têm até o dia 6 de dezembro para se inscreverem. Basta ir até a sede da Secretaria da Cultura, situada à Praça Antônio Vieira Tavares, 20, no Centro,