Cícero Landim e Macaia são os que mais aumentaram patrimônio nos últimos 4 anos

Com o registro das candidaturas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), todos os candidatos que vão disputar as eleições municipais deste ano são obrigados a apresentar uma declaração de bens. O documento faz parte do processo para saber se os registros serão confirmados pela Justiça Eleitoral. As informações são públicas e podem ser acessadas por qualquer cidadão, através do site divulgacandcontas.tse.jus.br.

Entre os 238 candidatos a vereador que Salto terá nas eleições deste ano, 93, o equivalente a 39% do total, declararam não possuir nenhum tipo de bem.

Dos 17 vereadores que a cidade possui na atualidade, 15 irão buscar a reeleição no pleito que ocorre no dia 15 de novembro. Estão fora da disputa Neguinho do Açougue (que desistiu da política) e Edemilson Pereira (Podemos), candidato a vice-prefeito.

Entre os demais, o vereador que declarou o maior patrimônio à Justiça Eleitoral foi Cícero Landim (PL): R$ 905 mil em bens. O patrimônio do vereador é 463% maior do que o registrado nas eleições de 2016, quando Landim declarou R$ 195.328,50.

O segundo maior rendimento é o de Antonio Cordeiro (PT). Neste ano, o vereador declarou um patrimônio de R$ 882.915,54. Já nas eleições de 2016, Cordeiro tinha R$ 787.608,56, um aumento de 12%.

O terceiro maior patrimônio entre os vereadores é de José Benedito de Carvalho “Macaia”. O candidato a reeleição pelo Solidariedade registrou neste ano bens que totalizam R$ 667.398,23; o valor é 618% maior do que havia declarado em 2016, quando apresentou R$ 107.870,99 em bens.

Entre os demais vereadores, três viram o patrimônio diminuir em relação a última eleição.

Kiel Damasceno (PP) tinha declarado R$ 350 mil nas eleições de 2016. Neste ano, seu patrimônio caiu para R$ 100 mil.

Divaldo Garotinho (PT) havia declarado possuir R$ 208.500,00 no ano de 2016. Agora, registrou apenas R$ 30.000,00 em bens.

O terceiro foi Álvaro Pacheco (Solidariedade). O patrimônio do vereador caiu de R$ 70 mil (em 2016) para R$ 18 mil (em 2020).

O único vereador que se manteve estável foi Celso Charnoski, mais conhecido como “Alemão do Santa Cruz”. Em 2016, ele informou à Justiça Eleitoral que não possui nenhum bem. Quatro anos depois, ele continua sem nenhum bem declarado.

Confira a relação de bens apresentados por cada um dos atuais vereadores:

Avatar

Caio Vinícius Dellagiustina

Jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *