Aterro Sanitário de Salto é adequado, mas tem a pior avaliação da região

Assim como ocorre todos os anos, técnicos da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) estiveram em Salto para vistoriar o Aterro Sanitário municipal e avaliar o trabalho relacionado à gestão de resíduos sólidos domiciliares no local para que atribuir a nota do IQR (Índice de Qualidade dos Resíduos).

Após avaliação de todos os pontos, a Cetesb divulgou que a cidade de Salto está no enquadramento 4, com nota de 9,6 do IQR. O estudo é referente ao ano de 2020

Apesar da nota alta, que coincide com a obtida em 2019 (9,6), garantindo as condições adequadas do aterro do município, Salto foi a cidade com pior avaliação entre os municípios vizinhos.

De acordo com o estudo da Cetesb, Cabreúva foi a única cidade da região a obter a nota máxima (10,0) ficando no enquadramento 1.

Depois aparecem Elias Fausto, Indaiatuba, Porto Feliz e Itu, todas com enquadramento 2 e nota 9,8. Dos 645 municípios do Estado de São Paulo, apenas 47 obtiveram a nota máxima.

Vale destacar que em Salto a empresa CSO Ambiental é a responsável pela administração do aterro.

O estudo mostra ainda que considerando a estimativa do projeto com licença de instalação emitida, o aterro de resíduos de Salto tem vida útil menor ou igual a dois anos.

O estudo

Desde 1997 a Cetesb tem organizado e disponibilizado anualmente as informações sobre as condições ambientais e sanitárias dos locais de destinação final de resíduos domiciliares nos municípios paulistas para a elaboração do Inventário Estadual de Resíduos Domiciliares e o aprimoramento dos mecanismos de gestão ambiental no Estado. As informações coletadas avaliam as características locacionais, estruturais e operacionais dos locais de tratamento e disposição de resíduos. As notas do IQR variam de 0,0 a 7,0 para condições inadequadas e de 7,1 a 10,0 para condições adequadas.

Posts Relacionado