Após desistir da CEI do Hospital por “falta de tempo”, Henrique Balseiros se compromete com CEI da Saúde

A Câmara de Vereadores aprovou no início de março a criação da Comissão Especial de Investigação (CEI) para procurar possíveis irregularidades no contrato da antiga gestora do Hospital Municipal (IBDAH) com a Prefeitura. Na ocasião, além do presidente e autor do requerimento para a criação, vereador Daniel Bertani, foram nomeados os outros três membros, entre eles o vereador Henrique Balseiros. Dias depois da criação, porém, Balseiros acabou protocolando sua saída da comissão alegando “falta de tempo” devido a compromissos pessoais e profissionais.

Passados menos de dois meses, nesta semana a Câmara aprovou a criação de outra CEI, dessa vez para investigar todo o sistema público de saúde. A comissão, proposta pelo vereador Kiel Damasceno, que será o presidente, conta ainda com a participação dos vereadores José Benedito de Carvalho “Macaia”, Alessandro Dernival da Silva “Sandro Palhaço” e de Henrique Balseiros. O autor do requerimento ainda pleiteou junto à presidência da Casa para que Henrique fosse o presidente, mas devido uma impossibilidade regimentar, ele ficou apenas como relator.

Durante a discussão do requerimento, Henrique disse que a investigação visa melhorar o atendimento e fiscalizar os profissionais. “É uma CEI que vem de encontro com várias reclamações que recebemos, de atendimentos muito rápidos ou de médicos que demoram em dar o diagnóstico. Com a CEI vamos conseguir recolher documentos de entrada e saída dos médicos (no posto de trabalho) e conseguiremos somar e valorizar a ética na Saúde pública. Vamos direcioná-la de maneira adequada para melhorar o atendimento na cidade de Salto”.

O PRIMEIRAFEIRA questionou o edil para saber sobre sua disponibilidade de tempo para a participação nessa CEI e o mesmo garantiu que terá tempo dessa vez para participar das reuniões e afirmou que não fez nenhuma distinção de prioridade entre as investigações alegando que ambas são importantes.

De acordo com o requerimento, a CEI terá a finalidade de apurar supostas negligencias médicas no âmbito da saúde pública do município, sendo um agravante que gerou óbito de paciente. O prazo de duração será de 180 dias corridos a contar da data de aprovação deste requerimento, podendo ser prorrogada conforme Regimento Interno.

Posts Relacionado

Tijolos / Coleção / Fontes Históricas – Parte II

Continuação… Inicio com um dos preferidos da coleção, o F.F.B. Trata-se de um tijolo que almejava há algum tempo e via muitos dele no Museu de Salto. A sigla é a abreviação de Francisco Fernando de Barros, mais conhecido como Barros Jr. Ele veio parar

Marcando um encontro consigo mesmo

Você que começou a ler esse texto, peço licença para falar com seu lado mais íntimo, onde ninguém consegue entrar a não ser que você permita. Obrigada. Ter alguém tão perto de nossos pensamentos, principalmente daqueles mais sombrios ou tão perto dos nossos sentimentos, que normalmente