A escolha do vestido ideal

Eu sou simplesmente apaixonada por decotes nas costas, na altura certa ele fica sexy sem ser vulgar, remete elegância, versatilidade, autonomia, modernidade, feminilidade, enfim… tantas mensagens subliminares que daria um livro para falar só sobre a linguagem da roupa.

Opa Fernanda, roupa? Vestido? Deixou de ser cerimonialista de casamento?

Não. Ainda não (risos) mas dias desses estava nas redes sociais e vi alguns modelos de vestidos de noiva (lindos! Incríveis todos eles) mas que me levaram a refletir sobre a importância da escolha do modelo certo.

Ultimamente estava, (porque agora nem casamento estamos fazendo por conta da pandemia né? Então vamos ver quando tudo voltar ‘ao normal’ como será essa nova moda), em alta modelos com decotes e transparências.

Gosto de decotes nas costas como citei no primeiro parágrafo e dos frontais também, mas para noivas acho (acho = minha opinião) que se não for “na medida” fica vulgar e causa constrangimentos. Mas Fernanda? ‘To’ nem aí.

Ok você tem todo o direito de não se incomodar com a opinião das pessoas, mas seria cordial que no seu casamento, houvesse da anfitriã um pouco de bom senso para não constranger pelos excessos. Já vi celebrante sem graça, padre pedindo para o noivo tirar o terno para cobrir a noiva (mas e se isso for uma implicância do padre?) Não. Não é. (Numa audiência, por exemplo, diante de um júri você tem uma etiqueta de vestimenta), convidadas recalcadas (hahaha sempre tem independente de decotes), pai sem jeito ao ver a filha e o noivo com cara de uau (mas não uau que linda, uau já estamos na lua de mel?).

Momentos como a celebração e festa de casamento pedem cautela! Você pode sonhar o que você quiser, mas nem tudo poderá ser realizado em público para não deixar o seu grande dia marcado por burburinhos alheios, mesmo que você não se importe com eles (os burburinhos). Eu sou a favor da autenticidade e acredito que você pode ser o que você quiser, desde que isso não ultrapasse os limites da etiqueta social.

Sabe quando o menos é mais? Então! Isso serve para expectativas, decotes, blashes, filtros no instagram (hehehe principalmente se você é algum prestador de serviço, cuidado exagerar nos filtros agora na quarentena e quando voltarem os atendimentos presenciais o seu potencial cliente nem te reconhecer – eita, estou aqui abrindo um parágrafo do meu novo curso, ‘o posicionamento de um fornecedor de sucesso’-. Retomemos ao vestido. 

Legal cerifada, mas o que a escolha do meu vestido tem a ver com o seu trabalho? Respondo: alertas, dicas, orientações também fazem parte do papel da assessora! Ela, assessora de casamento, mesmo que seja convidada pela noiva para ir à loja ver os vestidos, não deve diretamente dar a sua opinião, mas pode sim, colocar os prós e contras de alguns detalhes, entre eles, o modelo do vestido.

É por isso Noiva, que você contrata uma assessora com quem ‘suas fuça bata’! (Já ouviu esse ditado?) Para que haja uma sintonia entre vocês, respeito acima de tudo, que ela (assessora) respeite seu estilo, gosto, sonho e desejo, mas que você, Noiva confie na experiência e profissionalismo dela!

A ideia aqui não é fazer como aqueles programas de “vestido ideal” (programas são ensaiados e roteirizados, não se iludam, eu já tive um programa na TV local da minha cidade e sei beeeem como funcionam os bastidores), mas é um texto para fazer você refletir inclusive na escolha do seu vestido, ele faz parte do projeto casamento, é um item essencial e talvez o mais idealizado e sonhado, até mais que o noivo, certo? Até porque às vezes nem o noivo temos, mas já temos uma pastinha no celular com os possíveis modelos de vestidos de noiva.

Sonhadora, você vai ficar ansiosa, vai andar um cortejo, vai abraçar pessoas, vai abaixar para cumprimentar damas e pajens, vai dançar e viver as 6 horas do seu casamento (6h = 1h de cerimônia e 5h de festa), e para isso é importante estar linda e também confortável.

Quando me casei escolhi o modelo princesa, e queria uma cintura muito fina e saia bem armada, coloquei vários saiotes e para que ele ficasse firme precisou amarrar bem minha cintura, que ao tirar (depois das 6 horas) estava marcada, tipo sangue pisado e depois de uns dias o local ficou todo roxo e bem dolorido. Imagina ir para lua de mel assim toda machucada por um vestido (risos agora né? Porque em 2009 não teve graça). E estou compartilhando essa experiência com vocês para enfatizar a importância dos detalhes num todo, não só com decotes, transparências, mas conforto. É possível sim, estar vestida com o vestido dos sonhos e ainda assim confortável, por isso escolha um vestido que seja você e acima de tudo que proporcione bem estar. Ouça sua assessora que com certeza irá te orientar com amor e muita sabedoria, em qual ateliê você pode garantir sua melhor escolha.

Posts Relacionado

Vereador que instituir Hip Hop como Patrimônio Imaterial do Município

O vereador Michel Oliveira, que substitui o vereador licenciado, Antonio Cordeiro, apresentou um Projeto de Lei que declara como Patrimônio Cultural de natureza imaterial do Município de Salto a cultura Hip-Hop. A proposta tornaria o Poder Público Municipal o responsável pelo desenvolvimento, fortalecimento e visibilidade

Nova fase de flexibilização começa a valer no domingo

A partir deste domingo (1º de agosto) o Estado de São Paulo entra em uma nova fase de flexibilização para o comércio e o funcionamento das atividades econômicas em geral. A fase de transição seguirá até o dia 16 de agosto, com a atual taxa